Produção de lixo aumentou 30% em Xanxerê após volta das sacolas plásticas nos mercados

31 de agosto de 2017 10:01
Comunidade , Lance Notícias , Xanxerê Compartilhar no Whatsapp
Produção de lixo aumentou 30% em Xanxerê após volta das sacolas plásticas nos mercados Depois de sete anos, todos os mercados de Xanxerê voltam a distribuir sacolas plásticas. (Foto: Patrícia Silva/Lance Notícias)

Há sete anos, o município de Xanxerê implantou o projeto das sacolas retornáveis nos supermercados. O mesmo tinha como objetivo diminuir a utilização de sacolas plásticas que poluem o meio ambiente.

No período de implantação, Xanxerê era exemplo para diversos estados e municípios, já que foi a primeira a aderir ao não uso das sacolas plásticas. Porém ainda em julho de 2016, vários supermercados de Xanxerê, voltaram a distribuir as sacolas plásticas. Isso porque, os clientes, muitas vezes acabavam pedindo pela mesma.

Com volta da distribuição aumentou significativamente a produção de lixo que envolve as mesmas. Segundo dados da Continental de Xanxerê, a produção de lixo aumentou em até 30%.

“O pessoal está utilizando as sacolas mais na separação do lixo, ou seja, usando como saco de lixo mesmo. Mas a produção de lixo aumentou em tudo. Porque geralmente quando não usa as sacolas de mercado eles usam o próprio saco para lixo, então diminui. Com essas sacolas a tendência é que vá para o lixo doméstico, então no aterro sanitário, vai muito mais sacolas, ainda mais que demora a decomposição. Depois que voltou a entrega, a proporção aumentou, pois agora você vem para casa com até cinco sacolas plásticas. Aumentou em imediato, uns 30%”, comenta Adierso Bianchi, administrador da empresa.

Ainda de acordo com os dados, o maior aumento de lixo das sacolas plásticas, foi nas ruas. “Agora, esse aumento, nós não vemos só dentro do lixo e sim nas ruas. As mulheres que varem as calçadas são prova disso. O impacto de uso aumenta em todos os tipos de lixo, na seletiva, domiciliar e os lixos nas ruas”.

Volta do projeto 

Edson Marció, que é presidente dos sindicados do Comércio e Varejista de Xanxerê e Comércio Varejista de Gêneros Alimentícios e foi quem criou o projeto comenta que para que o projeto retorne para o município é preciso de uma lei.

“Nós tínhamos conseguido uma grande redução na produção destes materiais, mas foi por terra. Então vale muito da conscientização. Existe um número significativo de sacolas nas ruas, em locais que antes não tinham. Para voltar ao projeto, será justo com aqueles que já usam as retornáveis, precisaríamos de uma lei”, finaliza.

 


Por: Alessandra Bagattini

Deixe seu comentário

Saiba Mais