Professora da educação especial comenta sobre trabalho com aluno com Síndrome de Down

16 de julho de 2018 14:54
Comunidade , Educação , Xanxerê Compartilhar no Whatsapp
Professora da educação especial comenta sobre trabalho com aluno com Síndrome de Down Imagem Ilustrativa (Foto: Divulgação)

A inclusão de alunos com deficiência e necessidades especiais já é uma realidade nas escolas de Santa Catarina. Com isso, crianças que antes frequentavam apenas locais especializados agora ocupam cadeiras de escolas públicas e convivem com outras crianças.

É o caso de crianças com Síndrome de Down, que hoje estão inseridas em turmas regulares e já recebem a mesma educação que os outros alunos. Adriana trabalha com educação especial há mais de quatro anos e conta que se encontrou trabalhando com essas crianças. Ela destaca que não é uma carreira fácil e destaca que é preciso muito amor e dedicação.

“Comecei a fazer o curso de pedagogia e depois comecei a trabalhar com os alunos especiais e gostei muito, me encontrei nessa área e amo o que eu faço. Tenho um aluno com síndrome de down. Todos precisam ter uma atenção especial, então nos dedicamos muito para os alunos, precisamos ter essa dedicação. Se não amamos o que fazemos, não conseguimos trabalhar com os alunos especiais, porque é preciso entender eles, ter muita paciência, dedicação, carinho, atenção com eles. São alunos que precisam disso diariamente”, comenta.

Adriana trabalha com Ruan, de 13 anos, que tem síndrome de down e comenta que é preciso sempre trazer um método de ensino novo para auxiliar no aprendizado dele.

“O processo de ensino aprendizagem é mais lento em relação aos outros alunos. Você precisa constantemente estar incentivando ele, trabalhar com diferentes materiais para ver a melhor maneira de trabalhar. Todo dia é preciso resgatar o que foi ensinado no dia anterior, porque ele esquece com muita facilidade, então precisamos retomar o que ensinamos. Trabalhamos com recursos audiovisuais, imagens, jogos educativos, tudo para auxiliar na aprendizagem dele”, comenta.

Quanto a convivência com os outros alunos, a diretora Daiane Dal Bello destaca que assim como todos os alunos especiais da escola, a convivência entre é eles é muito boa e respeitosa.

“No início quando veio a decisão de que teríamos alunos especiais na escola ficamos com receio pela questão do bullying por parte dos outros alunos, mas aqui não tem isso. Temos alguns alunos com deficiência e percebemos que tem muita educação e respeito na convivência com esses alunos, ninguém exclui, eles são incluídos, conversam. Os nossos alunos com síndrome de down quando chegaram aqui não falavam muito, não interagiam e com o tempo eles evoluíram muito, hoje eles conversam. Eles melhoram muito com essa convivência”, destaca.

Além disso, a convivência com todos os professores, alunos e funcionários da escola é boa e auxilia no desenvolvimento desses alunos tanto na parte educacional como também no convívio em sociedade.


Por: Alessandra Oliveira

Deixe seu comentário

Saiba Mais