Professoras estudam ação contra ato de exoneração da Prefeitura de Ponte Serrada

11 de fevereiro de 2017 08:01
Comunidade Compartilhar no Whatsapp
Professoras estudam ação contra ato de exoneração da Prefeitura de Ponte Serrada Reunião para debater a questão foi realizada na Câmara de Vereadores (Foto: Jhonatan Coppini/Oeste Mais)

Um grupo de professoras pretende ingressar com uma ação judicial requerendo as vagas perdidas por um ato de exoneração da Prefeitura de Ponte Serrada em dezembro de 2016. A medida da administração passada ocorreu durante o processo de transição com a administração atual.

Na ocasião, segundo o ex-prefeito Eduardo Coppini, o atual prefeito, Alceu Alberto Wrubel (Tibe), solicitou as exonerações pela falta de necessidade de manutenção dos servidores nos cargos durante o mês de janeiro, além da economia aos cofres públicos no início do mandato, e que um novo processo seletivo seria aberto para a formação do quadro de professores temporários.

No entanto, a atual administração decidiu prorrogar por mais um ano o processo seletivo vigente, ao qual pertenciam os professores exonerados. O decreto foi publicado no Diário Oficial dos Municípios na última segunda-feira, dia 6. A medida fez com que outros professores que estavam na fila de espera fossem chamados. Já os exonerados em dezembro ficaram sem os cargos.

“A gente acha injusto porque, a partir do momento que você está fazendo um seletivo, atingiu a média e está habilitado, a tendência é ser o primeiro a ser chamado. Um professor não habilitado está tirando a vaga de um professor habilitado, essa é a nossa reivindicação maior”, reclamou a professora Roseli Aparecida Ribeiro.

O procedimento da atual administração teria sido adotado após uma conversa entre o próprio prefeito e o Ministério Público, que teria orientado informalmente o Executivo a fazer a chamada dos professores conforme a ordem da lista de espera do processo seletivo prorrogado.

Uma reunião entre parte dos professores que se sentem prejudicados e alguns vereadores ocorreu no início da noite desta sexta-feira, dia 10, para debater a questão. O ex-prefeito Eduardo Coppini também foi convidado para explicar o ato de exoneração ao final da gestão.

Segundo as professoras, a possibilidade de uma ação judicial para requerer que as exonerações sejam revogadas e elas possam voltar aos cargos vai ser analisada no final de semana. O início do ano letivo para os estudantes de todo o município está marcado para segunda-feira, dia 13.

Informações Oeste Mais


Por: Patricia Silva

Deixe seu comentário

Saiba Mais