Programa VTA: a pouco mais de um mês do fim do prazo, cavalos são encontrados abandonados

4 de junho de 2019 09:47 | Visualizações: 264
Animais , Variedades , Xanxerê Compartilhar no Whatsapp
Programa VTA: a pouco mais de um mês do fim do prazo, cavalos são encontrados abandonados (Foto: Alessandra Bagattini/Lance Notícias)

No próximo mês, dia 17 de julho, se inicia a fase de fiscalização do Programa Veículo de Tração Animal (VTA). Já são 35 recicladores cadastrados no programa, que passaram por todas as etapas como a criação da lei, formalização do programa e orientações aos usuários para inserção no mercado de trabalho.

Agora, a Prefeitura, por meio das Secretarias Municipais de Agricultura e Meio Ambiente, e Obras, com a procuradoria geral do município, e o Departamento Municipal de Trânsito (Demut) estudam como será feita a fiscalização e quais os próximos passos a serem tomados.

De acordo com o assessor jurídico da Prefeitura, Fernando Dal Zot, para que aconteça a fiscalização e a mesma seja efetivada, será preciso tomar algumas decisões. Uma delas, que já entrará em prática, é que foi feito um aditivo no contrato do guincho que realiza o recolhimento de veículos irregulares no município, para que recolha também as carroças, quando forem apreendidas.

– Estamos aguardando a manifestação do Rotary Club quanto ao projeto piloto das bicicletas, que não tivemos retorno. A Secretaria de Agricultura e Políticas Ambientais está trabalhando na contratação de quem vai recolher os cavalos, que é um processo mais complexo. Mas, queremos até a metade de julho, que é quando encerra o prazo e começa a fiscalização, tudo já esteja pronto – comenta.

Ademais, segundo Dal Zot, já há uma demanda no município, principalmente quanto ao recolhimento de cavalos. Entretanto, não há um local específico para onde esses animais possam ser levados. Segundo ele, nas últimas semanas a Administração recolheu, de forma provisória, cinco animais.

– Precisamos providenciar transporte e depósito dos animais e das carroças e, no caso dos cavalos, teremos de fazer uma avaliação, se for o caso, destinar para alguém que se interesse em receber por doação, porque o município não tem onde deixar esses animais e tem um custo alto. Possivelmente, como o prazo está encerrando, as pessoas estão descartando os animais – pontua.

Como a Secretaria de Agricultura e Políticas Ambientais possui veterinários atuando, o maior problema não é tratar os animais, quando estão debilitados, mas sim onde deixá-los. Segundo o secretário de Agricultura e Políticas Ambientais, Edson Zape os cinco cavalos recolhidos estão, provisoriamente, no Parque da Femi.

– Recolhemos cinco cavalos nestes últimos dias, mesmo não tendo esse dever. Não temos local, não temos meio de transporte e nem alimentação. Consegui a doação de feno, milho, estamos cortando pasto para eles, mas era para pegar dois, que a Polícia fez um Termo Circunstanciado e tivemos que recolher – explica.

Entretanto, na sua grande maioria são animais debilitados e, por conta de já ter outros animais no local, para que possam ficar lá eles precisam passar por exames, para que seja comprovado que não tem doenças. Diante disso, tudo está sendo estudado para que seja tomada alguma providência assim que a Prefeitura tiver de realizar esse recolhimento de forma efetiva.


Por: Alessandra Oliveira

Deixe seu comentário

Saiba Mais