Projeto de cinoterapia de Xanxerê é apresentado em Seminário Nacional em Itajaí

24 de julho de 2018 09:23
Bombeiros , Comunidade , Xanxerê Compartilhar no Whatsapp
Projeto de cinoterapia de Xanxerê é apresentado em Seminário Nacional em Itajaí (Foto: Divulgação)

No último fim de semana, cinco bombeiros e dois profissionais do Hospital Regional São Paulo participaram de um Seminário Nacional sobre Terapia Assistida por Cães, que aconteceu na cidade de Itajaí. O seminário foi promovido por meio de uma parceria entre o Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina (CBMSC) e a Universidade do Vale do Itajaí (Univali).

O projeto de cinoterapia, que é a terapia assistida com cães, é desenvolvido há cerca de quatro anos em Xanxerê com pacientes de vários setores do Hospital Regional São Paulo (HRSP), inclusive com pessoas internadas na Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

“Levamos os cães que desenvolvem um trabalho junto com os terapeutas, psicólogos e assistentes sociais no hospital. É um trabalho que ajuda na recuperação mental, fisiológica e fisioterapêutica dos pacientes e serve de ferramenta para melhorar a relação e a adesão dos pacientes no tratamento”, explica tenente Domingos, um dos cinotécnicos que desenvolve esse trabalho em Xanxerê.

Além dele, participaram também do seminário o tenente coronel Parizotto, soldado Josclei, BCP Silvia, BC Anderson, a assistente social do HRSP, Liliane Cavasin e o médico Gener Bueno, responsável pela UTI do hospital.

Conforme Domingos, o médico apresentou suas experiências e alguns artigos científicos para desmistificar a ideia de que a presença de cães na UTI pode ser sinônimo de mais doenças.

“A fala do doutor Gener foi muito interessante, pois as pessoas têm muita preocupação com a questão da infectologia e ele foi lá contar sua experiência e apresentar artigos científicos sobre isso. Ele quebrou vários mitos, porque ainda tem muita resistência quanto a presença dos cães na UTI. A participação dele foi bem importante”.

Participaram do evento palestrantes de todo o país que contaram suas experiências com a terapia assistida com cães. Além disso, foi discutido também o embasamento científico para que seja criado um grupo nacional para regulamentar essa atividade perante o Ministério da Saúde.

“Participamos contanto o case, a história de como começou o trabalho no Hospital São Paulo em Xanxerê, como é essa relação do Corpo de Bombeiros oferecendo seus cães para o tratamento juntamente com os profissionais da saúde. É um trabalho novo que a gente está tentando se apoiar quem desenvolve isso espalhado no país”, explica Domingos.

O projeto de cinoterapia de Xanxerê é um dos pioneiros do país e ainda serve como referência para a implantação do projeto em outros locais do país.


Por: Alessandra Oliveira

Deixe seu comentário

Saiba Mais