Projeto inovador: professora adota tartaruga e estimula paciência e responsabilidade de alunos

17 de outubro de 2016 11:59
Animais , Comunidade , Cultura , Educação , Variedades , Xanxerê Compartilhar no Whatsapp
Projeto inovador: professora adota tartaruga e estimula paciência e responsabilidade de alunos Cada dia um aluno é responsável por cuidar da tartaruga. (Foto: Alessandra Bagattini/Lace Notícias)

A vida de uma tartaruga, nunca foi tão extraordinária, quanto para os alunos do 3º ano do ensino fundamental, da Escola de Educação Básica Joaquim Nabuco. A professora Andreia Manzoni Mariani, adotou como projeto a vida dos quelônios. Projeto esse que visa, acalmar a turma e relacionar o ensino com a inovação.

Hoje o projeto engloba toda a escola e é discutido em todas as disciplinas, “todo ano eu priorizo um projeto, ano passado foram as borboletas. Esse ano, como as turmas estavam muito agitadas então eu escolhi a tartaruga. Eu trabalhei todos os contos que falam sobre a tartaruga, mostrando sua paciência, persistência e comportamento. Então eu aproveitei e trabalhei em todas as disciplinas”.

dsc_1297

Reação dos alunos

Andreia destaca que para obter o quelônio em sala, foram realizados trabalhos onde o objetivo era aprender sobre a vida do animal, “foi uma expectativa muito grande. Primeiro nós pesquisamos sobre os quelônios que são as tartarugas. Aí eles foram para a informática, fizeram a pesquisa, buscaram todas as informações. Aí nós entramos em contato com a Fazenda, que é uma reserva natural de quelônios no Paraná e pedimos a espécie”.

dsc_1312

Escolha do nome

Depois de realizar o pedido da espécie, a professora realizou em sala, uma votação para escolher o nome. O objetivo era que todos participassem e se envolvessem com o projeto, “para escolher o nome, os alunos realizaram uma votação, escolhemos o nome e, o nome escolhido foi Jujuba” cita.

dsc_1323

Chegada da tartaruga na sala de aula

A professora comenta, que no dia em que chegou a tartaruga, a emoção dos alunos foi tamanha, que o momento ficou eternizado, “nós recebemos ela pela transportadora, quando ela chegou, foi a coisa mais maravilhosa que um professor pode ter visto. Sorrisos e sorrisos, uma alegria total na sala”.

dsc_1329

Resultado

O objetivo de ter um quelônio em sala, era que o comportamento da turma melhorasse e, segundo Andreia o resultado foi positivo, “agora o respeito entre eles é maior, eles respeitam um ao outro, respeitam a tartaruga e buscam cuidar dela, dando comida, trocando a água. Como eles sabem que ela é bicho sensível, o barulho diminuiu, a turma está mais acomodada. Eu acredito que educação é isso, é inovar sempre”.

dsc_1338

 

dsc_1346

dsc_1341

dsc_1344

dsc_1339

dsc_1287

dsc_1291

dsc_1315

(Fotos:Alessandra Bagattini/Lance Notícias)

 


Por: Alessandra Bagattini

Deixe seu comentário

Saiba Mais