Projeto “Vista essa Causa” da RFCC lança camisetas com modelos exclusivos

15 de maio de 2016 16:50
Comunidade Compartilhar no Whatsapp
Projeto “Vista essa Causa” da RFCC lança camisetas com modelos exclusivos RFCC lança novo projeto (Fotos: Larissa Damian Trevisan)

 

Com objetivo de comemorar os três anos do espaço próprio do Banco de Perucas e para obter recursos para manutenção das atividades, a Rede Feminina de Combate ao Câncer de Xanxerê lança novo projeto. Foram confeccionadas dois modelos de camisetas com layout exclusivo que já podem ser adquiridas pela população.

Os itens estão disponíveis inicialmente junto ao Banco de Perucas que fica no andar térreo da sede da entidade no valor de R$ 60,00. O projeto baseia-se em disponibilizar à população, durante todo ano, camisetas com layout diferenciado, produzidas pela designer, Karina Tissiani.

De acordo com a presidente da RFCC, Rita Pezzali, o projeto surgiu atendendo às usuárias do Banco de Perucas que, após atendimento, solicitavam aquisição de itens para colaborar com a Rede. “A camiseta é, acima de tudo, uma homenagem a essas guerreiras em forma de mulher que todos os dias nos ensinam que não existe dia ruim nem tristeza quando se carrega consigo a imensa vontade de viver”, afirma.

Banco de Perucas

A Rede Feminina iniciou o Banco de Perucas há cerca de dez anos, quando aconteceu a inauguração da sede, em parceria com cabeleireira voluntária. Porém, somente em 2013 foi criado espaço próprio para o Banco no térreo da entidade.  O objetivo do mesmo é atender mulheres com câncer, em tratamento quimioterápico, que necessitam de perucas, por empréstimo ou venda, e acessórios como lenços, chapéus e turbantes.

O Banco é pioneiro no estado de Santa Catarina e atende pacientes de 18 municípios, tendo totalizado cerca de 150 atendimentos somente nos últimos três anos. As mulheres que utilizaram esse serviço até hoje eram portadoras de 18 tipos diferentes de câncer. (Assessoria de imprensa)

DSC_0865

 

 

 

 


Por: Patricia Silva

Deixe seu comentário

Saiba Mais