Reformar o ensino médio é necessário, mas oferecendo uma educação de qualidade, diz professor sobre a MP

10 de fevereiro de 2017 10:16
Comunidade , Educação , Xanxerê Compartilhar no Whatsapp
Reformar o ensino médio é necessário, mas oferecendo uma educação de qualidade, diz professor sobre a MP Reforma prevê que estados ampliem oferta do ensino em tempo integral (Foto: Divulgação)

 

A reforma do ensino médio foi aprovada na última quarta-feira (08) pelo Senado. O texto, que segue para sanção do presidente Michel Temer, foi inicialmente colocado em vigor como Medida Provisória (MP). O texto final manteve todos os eixos do original.

O professor de ensino superior e assessor legislativo, Claudemir Basquera, comenta sobre as mudanças e como será o ensino médio, “foi aprovado pelo Senado na última quarta-feira (08), a reforma do ensino médio, por 43 votos a 13, a Medida Provisória 746/2016, ela trata da reforma do ensino médio e muda algumas cláusulas referente ao Fundeb. A MP foi elaborada pelo Ministério da Educação e defendida pelo ministro Mendonça Filho, que assumiu a pasta, após a posse de Michel Temer, em 1º de setembro de 2016”.

As mudanças

Carga horária

“A da carga horária passou de 800 para 1400 horas progressivamente. Isso muda, pois, as escolas vão precisar de adaptar e se transformar em escolas integrais com o tempo. Hoje no Brasil apenas 1,6% da rede pública, estudam em escolas particulares. Porém as escolas vão precisar de adaptar e fazer muito investimento”.

Disciplinas

A principal polêmica diz respeito às disciplinas obrigatórias do ensino médio, “de 13 disciplinas obrigatórias no ensino médio, vão ficar apenas três, sendo matemática, português e inglês. Mas uma coisa já sabe, filosofia e sociologia, elas serão obrigatórias no estudo prático delas, sendo que elas podem ser inseridas em outras disciplinas. E as demais disciplinas, o aluno poderá escolher ou enfatizar as matérias. Vale destacar que o certificado final não será mais um modelo padrão, cada um vai ser servido com as disciplinas estudadas”.

Críticas

“Será que os adolescentes estão preparados para fazer essa escolha? ”

“Pessoas com notório saber, passariam a poder ministrar aulas. Não licenciados poderão dar aula com apenas uma formação pedagógica complementar”.

“Formado em qualquer faculdade poderá dar aula, sendo reconhecido pelo MEC”.

“Essa mudança no ensino médio, traz um ensino médio mais técnico e menos humano, pois o objetivo é formar pessoas para o mercado de trabalho, porém, pessoas sem o pensamento crítico. Todas as matérias são importantes. O que está acontecendo agora é um retrocesso e, a parte mais interessada nisso tudo, que somos nós, não fomos consultados. Reformar ensino médio é necessário, mas o governo deve pensar em oferecer educação de qualidade, para que o adolescente não precise trabalhar enquanto está estudando. Nesse método, nós vamos ter um esvaziamento do ensino superior, pois não há um incentivo. Conhecimento é poder, mas conhecimento é liberdade também”.

 

 


Por: Alessandra Bagattini

Deixe seu comentário

Saiba Mais