Região da Amai tem encontro sobre rastreabilidade vegetal

6 de novembro de 2018 07:34 | Xanxerê Compartilhar no Whatsapp
Região da Amai tem encontro sobre rastreabilidade vegetal Foto: divulgação

A Associação dos Municípios do Alto Irani (Amai) sediou nesta segunda-feira (5) um encontro sobre rastreabilidade vegetal. O evento teve por objetivo prestar esclarecimentos sobre as normas de registro e rastreabilidade de produtos de origem vegetal, apresentar os programas Alimento Sem Risco e o e-Origem.

A rastreabilidade é fundamental para identificar a origem dos alimentos para o consumidor e também para colaborar com o agricultor quanto a processos que utiliza na sua produção.

O Prefeito de Marema e Presidente da Amai, Adilson Barella, salientou a importância de uma produção de alimentos com qualidade para chegar a mesa do cidadão. “A região da Amai tem um grande potencial para desenvolver ainda nesta área,bbb mas é preciso já começarmos da maneira correta, organizando a área primária de produção de alimentos vegetais”, comenta o Presidente.

Participaram do evento prefeitos, secretários de agricultura, técnicos da vigilância sanitária, sindicatos rurais, técnicos da Epagri e Cidasc. Foram parceiros para a realização do encontro a AMAI, Ministério Público de Santa Catarina, Cidasc, Epagri, Vigilância Sanitária e Fecam.

 

Programa e-Origem…

É um sistema gratuito oferecido pelo estado de Santa Catarina onde se realiza o cadastro do produtor primário e da sua produção, para qual será gerado um Código específico para a rastreabilidade de seus produtos. Também possibilita imprimir o caderno de campo e oferece exemplos de etiquetas e do cartaz para expositor (gôndolas, ilhas). O Coordenador o programa e-Origem, Alexandre Mees explica que o sistema é simples e os interessados em realizar o cadastro devem acessar o site da Cidasc.

 

Programa Alimento Sem Risco…

O programa do MPSC que tem como objetivo principal a segurança dos alimentos vegetais cultivados e comercializados em Santa Catarina, de acordo com Promotora de Justiça e Coordenadora do Centro de Apoio Operacional do Consumidor (CCO), Greicia Malheiros da Rosa Souza Promotora de Justiça a preocupação do MPSC é a proteção da saúde dos consumidores contra o uso indiscriminado dos ingredientes tóxicos que deixam resíduos nos vegetais.

 


Por: Patricia Silva

Deixe seu comentário

Saiba Mais