Roda de Conversa será promovida para debater violência contra a mulher no IFSC

28 de agosto de 2018 15:53 | Evento Compartilhar no Whatsapp
Roda de Conversa será promovida para debater violência contra a mulher no IFSC Extensionistas da oficina de teatro: Raquel Giachini e Érica Ribeiro (Foto: Hanna Dohl)

O mês de Agosto ou Agosto Lilás é bastante significativo para a luta das mulheres que residem no Brasil, pois foi quando criou-se a lei 11.340, de 7 de Agosto de 2006, conhecida como Maria da Penha. A lei, mesmo que tardia, “cria mecanismos para coibir a violência doméstica e familiar contra a mulher” e eliminar “todas as formas de discriminação contra as mulheres”.

Pensando nessa conscientização e protesto contra a violência doméstica e os tantos casos de feminicídios registrados na região, o Projeto de Teatro Palcollet – do IFSC campus Xanxerê, que estuda o teatro como instrumento de indagação e transformação social, programou uma roda de conversa com teatro, música e poesia, nesta quarta-feira (29), às 19h, no bloco I.

As professoras de linguagens, Aline Guerios e Sabrine Weber serão as mediadoras do bate-papo com estudantes, servidores e comunidade externa. O evento terá duração de aproximadamente 60 minutos.

As considerações serão em torno de “Geni e o Zepelim” (1978), de Chico Buarque, que pertence ao álbum “A ópera do Malandro”, adaptação que Buarque faz de “A ópera dos três vinténs”, do dramaturgo alemão Bertolt Brecht (1898-1956), sobre o tema da redação do ENEM de 2015 e sobre dados que relatam essa violência que se quer combater.

Na leitura da oficina de teatro, o fim trágico de Geni não é um acidente ou apenas uma exceção, mas sim o produto de um momento histórico que oprime, violenta e mata mulheres (e também LGBTQs, negros, indígenas, PCDs, pessoas em vulnerabilidade social e outras minorias).

“Apesar da grande importância da lei, sabe-se que o amparo e acompanhamento que as mulheres recebem após uma denúncia ainda é bastante precário, isso quando a denúncia nem chega a delegacia da mulher por medo ou vergonha. Ademais, é importante frisar que há casos onde os relacionamentos já se mostram abusivos na adolescência e/ou tampouco são notados como abusivos pelas vítimas. A violência verbal e o ciúme obsessivo, por exemplo, são portas de entrada para a violência física e psicológica. Por esses motivos, o Agosto Lilás celebra a lei, mas principalmente conscientiza sobre essa violência, que infelizmente, é bastante comum”, comenta a Aline Guerios.

Fica o convite para visitar o IFSC campus Xanxerê, que está sempre de portas abertas e tem outras programações importantíssimas de construção coletiva de conhecimento e conscientização, como o Setembro Amarelo, com prevenção ao suicídio e em Outubro, a Semana Nacional de Ciência e Tecnologia – SNCT e o Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão – EEPEX. “Além disso, nossa oficina de teatro acontece todas as Terças-feiras, às 18h e também é aberta aos interessados da comunidade externa”, finaliza Aline.


Por: Patricia Silva

Deixe seu comentário

Saiba Mais