Saiba da importância da saúde mental no ambiente de trabalho

11 de fevereiro de 2020 09:12 | Visualizações: 2629
Conscientização , Saúde Compartilhar no Whatsapp
Saiba da importância da saúde mental no ambiente de trabalho

Com o estresse e a correria do dia-a-dia começam a surgir muitas questões relacionadas com adoecimento mental no ambiente de trabalho. Há estudos que mostram que podem ser muitos os fatores, assim a redação do Lance Notícias conversou com a psicóloga Roselei Vera e com o Especialista em Medicina do Trabalho, Diego Davi Corso, que comentaram sobre o assunto. Para Roselei:

– Entre os fatores estressores, está onde se exige uma cobrança excessiva dos colaboradores, geralmente feito pelos próprios líderes ou encarregados. Há pesquisas que mostram que, quanto mais flexível e acessível for o chefe é muito mais difícil de o colaborador adoecer – destaca a psicóloga.

Para confirmar esta ideia, o médico, Diego, comenta que os fatores externos ao trabalho como problemas de saúde na família, necessidades dos filhos ou morte de relativos, devem ser respeitados, pois podem diminuir o desempenho, comprometendo todo o ambiente que o cerca. Trabalhar em situações limites não é saudável a ninguém, e ressalta:

– Independente da profissão, hoje em dia, cobramos e somos cobrados. Exigimos mais de nós mesmos e ligado a este fato, surge um dos problemas mais comuns entre os transtornos psicológicos, o estresse. Coopera para este possível quadro, o fácil acesso a informações, gerando sobrecarga de conhecimentos e responsabilidades, podendo desencadear ansiedade, depressão ou problemas físicos, como doenças cardíacas ou neurológicas – frisa o médico.

Segundo a psicóloga Roselei, nas empresas onde há chefes muito autoritários, é comum que o colaborador adoeça mentalmente, porque a pessoa se esgota e se sobrecarrega. A psicóloga comenta que ouve muito nos atendimentos que os pacientes comentam sobre a obrigação de ter de trabalhar em locais assim, e diz:

–  Ao contrário de autoridade, não é autoritarismo e alguns líderes ou coordenadores confundem isso por falta de treinamentos e capacitação das próprias lideranças.     Assim o colaborador trabalha ali apenas porque tem de ficar naquele espaço para o sustento de sua família e porque precisa do dinheiro, então acaba se submetendo a uma chefia autoritária, que não é sinônimo de tomar as rédeas, mas sim, a falta de treinamento e capacitação das chefias que lideram os grupos – comenta Roselei.

A psicóloga Roselei Vera e o  Especialista em Medicina do Trabalaho, Diego Davi Corso, orientam que os líderes tenham mais flexibilidade e conversem mais com seus grupos de liderados, para que haja ambientes de trabalho mais sadios e colaboradores com menos doenças e problemas psicológicos causados pelo estresse no trabalho.


Por: Daniela Rodighero

Deixe seu comentário

Saiba Mais