Saúde explica falta de doses da vacina contra meningite nas Unidades de Saúde

30 de agosto de 2018 10:49 | Comunidade , Saúde , Xanxerê Compartilhar no Whatsapp
Saúde explica falta de doses da vacina contra meningite nas Unidades de Saúde Foto: Divulgação

O Lance Notícias foi procurado por uma mãe que está preocupada com a imunização de seu filho e também das demais crianças do município. Ela comenta que ao procurar uma Unidade de Saúde para vacinar seu filho de cinco meses, foi informada de que a vacina está em falta e deve chegar apenas na metade do próximo mês.

Em contato com o setor de imunização do município, a enfermeira Waldereza Dal Molin, responsável pelo setor, explica que a vacina meningocócica C, aplicada em bebês em duas doses, sendo aos três e cinco meses de idade, está em falta há cerca de dois meses.

“Na verdade, foi uma questão de laboratório, foi atraso do laboratório para repassar essa vacina. Todo mês recebemos doses dessa vacina, mas, nos últimos dois meses recebemos muito pouco, cerca de 80 vacinas no mês para todo o município, então isso é muito pouco. Hoje, está em falta em todas as unidades e agora estamos esperando o início do mês, depois do dia 10 que recebemos as vacinas, que a gente receba mais doses. Sabemos que vamos receber, só não sabemos a quantidade”, explica.

A Diretoria de Vigilância Epidemiológica de Santa Catarina (Dive-SC) emitiu nesta semana uma nota informativa explicando a situação da distribuição dessa vacina aos municípios. Cofnira a noite na íntegra:

“O Ministério da Saúde (MS), por meio da Nota Informativa Nº 169/2018-CGPNI/DEVIT/SVS/MS, informou a todas as Secretarias de Saúde que a vacina meningocócica C foi distribuída em um quantitativo correspondente a 72% (30.660 doses) da cota mensal estadual, devido a atrasos nas entregas por parte do laboratório produtor, Fundação Ezequiel Dias (Funed).

A Diretoria de Vigilância Epidemiológica de Santa Catarina (Dive/SC) informa que recebeu o referido repasse do Ministério em 17 de agosto de 2018, quantitativo que está sendo distribuído a partir desta semana às centrais regionais de saúde. Conforme informações da equipe do Programa Nacional de Imunizações do Ministério da Saúde (PNI/MS), o estoque estratégico está sendo mantido para o atendimento das demandas emergenciais.

Por isso, orientamos as equipes municipais de atenção primária e de imunização a manterem um cadastro de crianças que ainda devem receber a vacina, para posteriormente serem resgatadas, atualizando a carteira de vacinação. No estado, são aplicadas em média 42.500 doses de meningocócica C por mês.

Assim que essa situação for regularizada, a Dive/SC irá providenciar o imediato envio dos imunobiológicos para as Gerências Regionais de Saúde abastecerem os municípios de Santa Catarina. As demais doses das vacinas do calendário vacinal estão com a distribuição funcionando normalmente”.

Falta de pediatra

Além disso, a mãe também comentou sobre a falta de um médico pediatra na rede pública de saúde, para realizar acompanhamento dos bebês.

Quanto a essa situação, a secretária de Saúde Irene Gosralski explica que as consultas em especialidades que não são oferecidas pelo município são feitas por meio do Consórcio Intermunicipal de Saúde do Oeste de Santa Catarina (Cis-Amosc). As crianças passam por uma avaliação e, quando há a necessidade de acompanhamento de pediatra, ela é encaminhada por meio do Sistema de Centrais de Regulação (Sisreg) para a consulta.

“A criança passa por uma avaliação na Unidade de Saúde e, se houver necessidade de uma consulta com pediatra, um acompanhamento, ela é encaminhada por meio do Sisreg e a consulta é liberada conforme a demanda”, explica a secretária.


Por: Alessandra Oliveira

Deixe seu comentário

Saiba Mais