Sete suspeitos são denunciados por chacina que ocorreu em São Domingos

29 de julho de 2016 10:58
Comunidade , Polícia Compartilhar no Whatsapp
Sete suspeitos são denunciados por chacina que ocorreu em São Domingos Sete suspeitos são denunciados.(Foto: PM)

O Ministério Público de Santa Catarina (MPSC) denunciou sete pessoas acusadas de participação em uma chacina ocorrida em junho deste ano no município de São Domingos, no Oeste catarinense. Dois seguiam foragidos nesta quarta-feira (27). Cinco pessoas foram torturadas antes de morrer, segundo as investigações. Os corpos foram encontrados carbonizados em um carro.

Segundo o delegado responsável pelo caso, Paulo José Reis Venera, o inquérito foi concluído no começo de julho. Em 13 de julho, o Ministério Público de Santa Catarina (MPSC) fez a denúncia.

Crime
O crime aconteceu em 12 de junho no prostíbulo, de acordo com as investigações. Sete foram indiciados por matar cinco homens no local. Antes das mortes, as vítimas foram torturas, disse o delegado. Após os homicídios, os corpos foram colocados em um carro, que foi incendiado.

Todos os sete indiciados pela polícia foram denunciados pelo MPSC pelos crimes de homicídio duplamente qualificado e tortura. Outros cinco foram denunciados por esses dois delitos e mais ocultação de cadáver. O sétimo, pelos três crimes e ainda por furto.

Prostíbulo incendiado
A Polícia Civil aguarda o resultado da perícia balística para descobrir de quantas armas foram feitos os disparos. A polícia pediu também perícia do incêndio no mesmo prostíbulo, ocorrido na segunda-feira (25).

No dia da chacina, três foram presos. Um jovem de 23 anos, gerente da boate, foi preso dois dias depois, assim como uma jovem da mesma idade que trabalhava no local. Dois suspeitos estavam foragidos até a tarde desta quarta-feira (27). Os que foram presos continuam em unidades prisionais preventivamente.

Todos os presos negaram participação no crime, segundo o delegado. Eles alegaram à polícia que os homicídios ocorreram porque um dos homens que foi morto teria matado o dono anterior do prostíbulo, mas segundo a polícia não há provas para comprovar essa versão.

Incêndio
O prostíbulo foi totalmente consumido pelas chamas na segunda. Conforme o Corpo de Bombeiros, a suspeita é de que o incêndio tenha sido criminoso, já que a incineração foi rápida e em diversos pontos simultâneos do estabelecimento.

De acordo com o delegado, a polícia trabalha com a suspeita de que o incêndio possa ser criminoso, mas não havia provas até a tarde desta quarta. “[O incêndio] começou à noite em uma região isolada”. O objetivo da perícia é verificar se há indícios de incêndio criminoso. (Fonte: G1)


Por: Alessandra Bagattini

Deixe seu comentário

Saiba Mais