Trabalho desenvolvido com adolescentes no Creas de Xanxerê é referência no Estado

10 de junho de 2019 15:30 | Visualizações: 126
Comunidade Compartilhar no Whatsapp
Trabalho desenvolvido com adolescentes no Creas de Xanxerê é referência no Estado

O trabalho com adolescentes de medidas socioeducativas desenvolvido pelo Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas), em Xanxerê, foi apresentado no X Seminário Estadual de Assistência Social realizado, em Florianópolis.

Segundo a assistente social, Valéria Patrícia Turim Schulz, que apresentou o tema, em 2014 o município de Xanxerê elaborou o plano Municipal de Atendimento Socioeducativo. Em 2015 foi realizado o projeto político pedagógico e, em 2016, foi solicitado ao Ministério Público Judiciário a permissão do cumprimento da Medida socioeducativa em meio aberto, com Prestação de Serviços à Comunidade (PSC) e Liberdade Assistida (LA) cumpridos através de oficinas profissionalizantes e socioeducativas.

Durante as oficinas foi construído um plano de atendimento individual.

– No plano trabalhamos a convivência familiar, atual situação familiar, o que o adolescente utiliza como cultura, esporte e lazer, saúde física e mental, questões socioeconômicas, drogadição e profissionalização. Fomos observando ao longo do tempo e encaixando que o adolescente trabalhasse questões de sua idade, levando em consideração suas características, seja no esporte, cultura – comenta Valéria.

Um exemplo de aplicação da medida foi uma oficina de dança em que os adolescentes cumpriam as horas aprendendo a arte. Segundo Valéria, a temática vem ao encontro da perspectiva do adolescente e os professores trazem a parte técnica do entendimento de quão importante é perseverar e avançar seus limites, se descobrir.

– O trabalho da medida socioeducativa é fazer com que o adolescente tenha condições suficientes para não retornar ao ato infracional que o trouxe até aqui. Tivemos uma parceria muito importante com juizado e MP que entenderam que isso é uma forma de cumprimento, porque estamos proporcionando ao adolescente que tenha condições de se estabelecer em um programa como Jovem Aprendiz, que consiga entender que a situação que gerou o ato infracional pode ser avançada – explica.

O trabalho tem mostrado resultados positivos, reduzindo consideravelmente o número de adolescente cumprindo medidas. Em 2016, eram mais de 150 adolescentes em cumprimento, que iam para as instituições que não terminavam o cumprimento da medida.

– Poder passar isso a uma plateia de aproximadamente 630 pessoas e dizer que a proposta tem dado certo por um trabalho de várias equipes e apoio do Judiciário, Ministério Público e Secretaria de Assistência Social, foi muito importante para o município de Xanxerê – comenta.

A ideia é que a proposta possa ser implementada nos demais municípios.


Por: Carol Debiasi

Deixe seu comentário

Saiba Mais