Trilhas de jeep: Valmor Grigol conta como enfrentou paraplegia através do esporte

21 de janeiro de 2019 11:35
Comunidade , Esporte em destaque , Evento , Saúde , Variedades , Xanxerê Compartilhar no Whatsapp
Trilhas de jeep: Valmor Grigol conta como enfrentou paraplegia através do esporte Foto: arquivo pessoal

Valmor Grigol, de 51 anos, morador de Faxinal dos Guedes, sempre gostou muito de corridas de jeep e já participou de diversas competições pela região. Porém, há mais de 20 anos ele sofreu um acidente durante um mergulho em uma piscina, o que acabou comprometendo sua locomoção. Após o acidente, Grigol encontrou forças e motivação com amigos de trilha de jeep para seguir sua vida.

– Após o acidente, no primeiro laudo do médico fui diagnosticado como tetraplégico. Com o passar do tempo, algumas melhorias foram notadas e recobrei levemente a sensibilidade das pernas – explica Grigol.

Hoje, Valmor é paraplégico, quadro esse que não tem reversão.

– Quando saí do hospital não sabia o que fazer, não poderia mais exercer minha profissão de mecânico, foi um momento muito difícil. Levei em torno de quatro anos para me reerguer, e nesse tempo pensei em desistir da vida. Mas, hoje, quando olho para trás, vejo que esses pensamentos não condizem com o que vivo. O apoio das famílias e amigos foi crucial nesta fase – pontua.

Para participar das trilhas, Grigol realizou, com ajuda de amigos, algumas adaptações em seu jeep.

– Quando você faz algo próprio é ótimo, porque conhece sua real necessidade e o que é melhor. Com a ajuda dos amigos realizamos adaptações na embreagem, freio e acelerador – frisa.

Uma das principais dificuldades que ele enfrentou ao longo da vida foi a falta de acesso para viajar, banheiros e até em hotéis.

 

Histórias engraçadas não faltam

Ao longo dos mais de 15 anos de trilhas, histórias engraçadas não faltam.

– Uma das primeiras trilhas que participamos, ainda sem muita prática, rende boas risadas até hoje. Na época era realizado uma trilha cronometrada, a pessoa possuía uma média de velocidade para dirigir e um determinado tempo para realizar o percurso. Mas nós não sabíamos disso, chegamos no local recebemos o mapa e achávamos que era uma corrida, assim saímos acelerando, passamos todo mundo, em uma certa altura acabamos quebrando o jeep, e todos os outros participantes nos ultrapassaram. Depois de consertar o jeep, aceleramos e ultrapassamos novamente todos os participantes, nisso um dos companheiros falou “mas esses caras são muito fracos, já ultrapassamos eles duas vezes” (comenta entre risos), chegamos no primeiro ponto de conferência, onde foi explicado realmente como funcionava. Mas daí nossa prova já estava comprometida, já havíamos perdido mais de mil e oitocentos pontos. Depois pegamos a manha, já estávamos mais descolados – explica.

Hoje, Grigol trabalha como técnico em eletrônica e foi eleito presidente do Jeep Clube, onde ele pretende unir ainda mais os sócios.

– A minha intenção como presidente é retribuir o carinho e ajuda que recebi ao longo destes anos. A solidariedade e o amor são muito presentes no grupo, visando ajudar as pessoas que possuem algum problema – finaliza.


Por: Direto da Redação

Deixe seu comentário

Saiba Mais