Vereador de Faxinal dos Guedes é preso por tráfico de drogas

25 de setembro de 2018 13:39
Comunidade , região Compartilhar no Whatsapp
Vereador de Faxinal dos Guedes é preso por tráfico de drogas Foto: PM

Atualizada às 14h30min de quarta-feira (26):

 

Nessa segunda-feira (24), por volta das 21h50, a Polícia Militar estava em vigilância de um grupo com denúncias relacionadas a jogos de azar na rua 1021, no centro de Balneário Camboriú.

Dois homens suspeitos passaram com mochilas nas mãos conversando sobre drogas e seguiram até um veículo que estava estacionado na via deixando as mochilas dentro e aguardando nas proximidades. Diante da suspeita, as guarnições da PM se deslocaram ao local e foi realizada a abordagem. Identificados como P.J., 28 anos, e F.M., 29 anos. Em revista pessoal nada de ilícito foi encontrado com eles.

Ao serem questionados sobre o veículo, ambos negaram ter conhecimento sobre ele, porém P.J., estava com as chaves do veículo em seu bolso. Em busca veicular foram encontrados dentro das mochilas 100 compridos de ecstasy e 100 gramas de cocaína. Após a descoberta das drogas foram novamente questionados e ambos os abordados continuaram afirmando desconhecer as drogas e o proprietário do veículo.

Em seguida o vereador A.A.O., de 35 anos, apareceu e se identificou como vereador na cidade Faxinal dos Guedes. Ele disse ter sido avisado sobre a abordagem e se identificou como proprietário do veículo. Este informou que emprestou o veículo para os abordados e que não sabia da procedência das drogas. Ainda informou que era usuário de cocaína. Diante dos fatos todos foram presos para os procedimentos cabíveis.

O vereador possui nove boletins de ocorrência por delitos como: violência doméstica, tráfico de drogas e porte ilegal e disparo de arma de fogo.  O outro não possuía boletins de ocorrência.
F.M., possui seis boletins de ocorrência por delitos como: tráfico de drogas, disparo de arma de fogo, perturbação e lesão corporal.

Fonte: Repórter Paulo Roberto

 

Em entrevista ao Portal Faxinal, na tarde desta quarta-feira (26), o vereador se posicionou sobre o ocorrido:

“Eu quero dizer assim, que houve um grande mal entendido, uma grande má notícia divulgada de primeira mão pela Polícia Militar, porque o acontecimento foi o seguinte, eu estava em um lugar e os rapazes estavam em outro, mas estavam chegando com o meu automóvel. Apenas fui para o local do acontecido, da abordagem que estava junto à PM, junto com dois amigos meus, resolver a situação, porque o automóvel era meu e apenas eu fui conduzido até a delegacia juntamente com eles, mas não fui preso e fui autuado como testemunha do caso, eu sou testemunha de um inquérito que a Polícia Civil instaurou agora para o desenrolar do caso. Então a má fé da PM e a má fé da imprensa de Balneário Camboriú é que gerou todo este mal entendido, porque ser conduzido pela PM até o destacamento, ou a Polícia Civil é uma coisa e ser preso ou ficar preso é depois de todos os procedimentos legais que a delegada, até quero aqui, parabenizar ela pela educação, pelo respeito, pela capacidade, pelo caráter e pelo compromisso em ser uma delegada e saber destoar um fato do outro e saber quem é quem (…). Tanto é que nós chegamos lá, ela me chamou e me liberou na hora, liberou meu automóvel e me colocou como testemunha. Ser testemunha de um inquérito não é ser um dos presos no acontecido da abordagem. Eu quero dizer para a sociedade faxinalense, para aquelas pessoas de bem, para aquelas pessoas que tem a índole, que tem o respeito, que tem o poder de saber que uma notícia mal dada que veio de lá, do repórter de lá, que até nós vamos processá-lo, vamos ver o que cabe a Polícia Militar também e dizer ao povo que ontem eu estava na Câmara, porque quem não deve, não teme e meu dever era estar ali na minha sessão de trabalho (…)”.

 

O Lance Notícias entrou em contato, nesta quarta-feira (26), com a Polícia Militar e com a Polícia Civil de Balneário Camboriú, as quais confirmaram a ocorrência.


Por: Alessandra Bagattini

Deixe seu comentário

Saiba Mais