Vídeo: mãe vence desafios diários em busca de qualidade de vida para filha com microcefalia

31 de outubro de 2018 14:41 | Saúde , TV Lance Notícias , Xanxerê Compartilhar no Whatsapp
Vídeo: mãe vence desafios diários em busca de qualidade de vida para filha com microcefalia Foto: Divulgação

Microcefalia é uma condição neurológica rara em que a cabeça e o cérebro da criança são significativamente menores do que os de outras da mesma idade e sexo. A microcefalia normalmente é diagnosticada no início da vida e é resultado do cérebro não crescer o suficiente durante a gestação ou após o nascimento.

Crianças com microcefalia têm problemas de desenvolvimento. Não há uma cura definitiva para a microcefalia, mas tratamentos realizados desde os primeiros anos melhoram o desenvolvimento e qualidade de vida.

A xanxerense Raissa Mantelli foi diagnosticada com microcefalia aos quatro meses de vida. Hoje, com 11 anos de idade, Raissa já fez tratamentos em Brasília e Florianópolis, e com a ajuda da família a menina conseguiu ter uma melhora significativa para combater os danos causados pela doença.

Lucitania Mantelli é a mãe da Raíssa, e conta que hoje a menina realiza o tratamento de Pediasuit, na Apae de Xanxerê, além de equoterapia e hidroterapia. “Na parte de Manhã a Raíssa estuda na quinta série no ensino regular no Escola Pequeno Príncipe. E na parte da tarde ela faz os tratamentos, procuro sempre encaixar os meus horários de trabalho com os horários das terapias da minha filia, para estar sempre por acompanhando as melhoras da minha filha”.

A fisioterapeuta Lilian Masutti trabalha há mais de quatro anos com o Pediasuit, na Apae de Xanxerê. “O Pediasuit combate a doença de atrofiamento dos músculos. Após colocado todo o equipamento, os movimentos de Raissa são totalmente diferentes, eles compensam o corpo e funcionam como músculos. Ela teve uma melhora significativa desde que começou a fazer o tratamento”.

Com a determinação de sua mãe, Raissa consegue estudar e fazer atividades que adora, como pular na cama elástica e andar de patins. “Talvez se eu não tivesse corrido atrás de tantos tratamentos, hoje a minha filha estaria apenas deitada em uma cama, e não fazendo todas as atividades que ela gosta, enquanto eu tiver forças vou seguir em busca de tratamentos para ela”.

Confira mais dessa história emocionante, assistindo o vídeo abaixo:


Por: Karina Ogliari

Deixe seu comentário

Saiba Mais