Vigilância alerta para risco de epidemia de dengue em Xanxerê

19 de dezembro de 2016 13:59
Comunidade , Dengue , Saúde , Xanxerê Compartilhar no Whatsapp
Vigilância alerta para risco de epidemia de dengue em Xanxerê 705 focos do mosquito aedes aegypti encontrados este ano até agora. (Foto:Divulgação)

O município de Xanxerê registrou neste ano 20 casos de dengue (19 adquiridos no próprio município e 1 importado), 1 chikungunya (importado) e outro de zika (importado), doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti. O número é muito superior ao registrado nos 12 meses de 2015, onde na época a Secretaria Municipal de Saúde identificou três casos de dengue adquiridos fora do município.

Devido a uma eminente epidemia, as vigilâncias – sanitária e epidemiológica – estão promovendo ações para enfrentar o problema. Nos últimos meses foram realizadas reuniões semanais para encontrar mecanismos de capacitação dos profissionais da rede pública de saúde. Foi criado um fluxograma de atendimento para os pacientes que procuram as unidades básicas, 24 horas e hospital São Paulo com suspeita de dengue. O paciente que chegar com sintomas da doença será atendido pela equipe das unidades e depois encaminhado ao laboratório municipal (anexo ao CTA), onde realizará coleta de sangue.

Outra medida foi visitar Pinhalzinho, com a finalidade de conhecer os processos de trabalho adotados durante a epidemia pela qual o município sofreu no início deste ano. A equipe da rede de saúde de Xanxerê buscou exemplos para programar ações preventivas no combate a uma epidemia. Na visita ficou constado que a limpeza de calhas, caixas d’ água e cisternas foi o principal meio encontrado pelas autoridades daquele município para diminuir o número crescente de focos e a proliferação do mosquito.

Pinhalzinho, com 20 mil habitantes, teve mais de três mil casos de dengue (1,5% do total da população) e uma morte. No atendimento a esses pacientes foram aplicados, em dois meses, R$ 357 mil para cobrir custos com médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem, equipes de endemias, exames laboratoriais e medicamentos.

Outra ação é capacitação de médicos e equipe de enfermagem da rede municipal de saúde. O treinamento está sendo desenvolvido pelos profissionais do CTA, com o objetivo de prepará-los para o enfrentamento de uma possível epidemia a partir de janeiro.

“Olhando o panorama que o município vive hoje, precisamos que todos, população e poder público, se unam ainda mais para diminuir a possibilidade uma epidemia. As pessoas devem ter como regra em seu cotidiano a verificação de locais que possam armazenar água, para evitar a proliferação do mosquito. Se não houver este comprometimento será muito difícil evitar a disseminação em massa do vírus da dengue – destacou o coordenador municipal das Vigilâncias em Saúde, Ildomar da Silva.

 

Dados atuais de Xanxerê

Focos do mosquito Aedes egypti

2016 – 705 (até o dia 15/12/2016)

2015 – 520

 

Armadilhas em monitoramento

82 armadinhas

 

Pontos estratégicos em monitoramento (ferro velho, borracharias)

34 (destes 29 assinaram termo de ajuste de conduta com o Ministério Público para regularização).

 

Ações desenvolvidas em 2016

Foram realizadas 82. 806 visitas em residências e no comércio

4.450 verificações das armadilhas

1.100 verificações nos pontos estratégicos

12.400 visitas de bloqueio de transmissão (varredura em um raio de 150 metros da residência dos suspeitos de dengue)

50 pulverizações para o controle do Aedes agypti

Dois mutirões de limpeza em todo o perímetro urbano do município

Palestras de capacitação e orientação nas redes de ensino pública e privada

Realizadas inúmeras reportagens, palestras e treinamentos sobre a temática da dengue, que proporcionaram ampla divulgação à população.

locais-com-pessoas-suspeitas-de-contrairem-dengue

 

Assessoria de Imprensa Prefeitura de Xanxerê


Por: Alessandra Bagattini

Deixe seu comentário

Saiba Mais