Vigilância registra média de cinco focos da dengue por semana mesmo estando no inverno

1 de agosto de 2016 11:38
Comunidade , Saúde Compartilhar no Whatsapp
Vigilância registra média de cinco focos da dengue por semana mesmo estando no inverno (Foto: Patrícia Silva/Arquivo/Lance Notícias)

 

A dengue ainda gera preocupação em Xanxerê e mesmo estando no inverno, o número de focos não para de subir. Já foram contabilizados mais de 600 focos e com 18 casos de dengue confirmados, um de chikungunya e um de zika.

Segundo o Coordenador da Vigilância Sanitária de Xanxerê, Ildomar da Silva, a preocupação maior se dá aos próximos meses que tendem a ser a estação perfeita para os mosquitos aedes aegypti se reproduzirem já que no verão acontecem chuvas, o que deverá empoçar água e é quente, facilitando assim a eclosão dos ovos.

“Estamos trabalhando, mesmo estando no inverno o índice de focos não para de subir, estamos registrando uma média de cinco focos por semana. Com certeza para o início do verão esse número deve subir ainda mais”, comenta.

O Aedes aegypti tem como criadouros os mais variados recipientes que possam acumular água parada, domiciliares e peridomiciliares. Os mais comuns são pneus sem uso, latas, garrafas, pratos dos vasos de plantas, caixas d’água descobertas, calhas, piscinas e vasos sanitários sem uso. A fêmea do mosquito pode, também, depositar seus ovos nas paredes internas de bebedouros de animais e em ralos desativados, lajes e em plantas como as bromélias.

Como evitar

Evite usar pratos nos vasos de plantas. Se usar, coloque areia até a borda;

Guarde garrafas com o gargalo virado para baixo;

Mantenha lixeiras tampadas;

Deixe os tanques utilizados para armazenar água sempre vedados, sem qualquer abertura, principalmente as caixas d’água;

Plantas como bromélias devem ser evitadas, pois acumulam água.

Trate a água da piscina com cloro e limpe-a uma vez por semana;

Mantenha ralos fechados e desentupidos;

Lave com escova os potes de comida e de água dos animais, no mínimo uma vez por semana;

Retire a água acumulada em lajes;

Dê descarga, no mínimo uma vez por semana, em vasos sanitários pouco usados e mantenha a tampa sempre fechada;

Evite acumular entulho, pois podem se tornar criadouros do mosquito.

Para mais informações, procure a Secretaria de Saúde do seu munícipio.

 


Por: Patricia Silva

Deixe seu comentário

Saiba Mais