Xanxerê busca implantar Rede Catarina de Proteção à Mulher

4 de dezembro de 2018 15:42 | Comunidade , Polícia , Xanxerê Compartilhar no Whatsapp
Xanxerê busca implantar Rede Catarina de Proteção à Mulher

Desde o ano de 2017 a Polícia Militar de Santa Catarina conta com a Rede Catarina de Proteção à Mulher. O programa tem por objetivo direcionar esforços por parte da Corporação no combate e prevenção à violência doméstica, particularmente contra as mulheres. E, a 4ª Companhia de Polícia Militar de Xanxerê estuda a implantação do projeto em Xanxerê.

Conforme o comandante da 4ª Cia, capitão Vilte dos Santos, três policiais do quartel de Xanxerê participaram, na última semana, de um seminário capacitatório para a implantação do programa aqui.

– Os policiais participaram dessa capacitação e queremos implantar o programa aqui. Agora, precisaremos de mais uma viatura e uma guarnição para atendimento, geralmente composta por um homem e uma mulher – comenta.

Segundo Vilte, a guarnição realizará um trabalho preventivo e, também, atenderá e irá acompanhar as ocorrências relacionadas à Lei Maria da Penha.

– Essa guarnição irá fazer parte de um trabalho preventivo, casos que tem determinação judicial de afastamento, geralmente do companheiro, a guarnição faria essa ronda em diversos horários nessas residências onde tem as vítimas e garantir que a pessoa não volte lá e também esse contato com a vítima, sendo ele preventivo e também após o caso de violência ­– explica.

O programa é, de fato, a necessária atenção às mulheres vítimas de violência doméstica e familiar, que visa dar voz e dignidade a elas, a partir do conceito de que é possível fazer mais e melhor, de forma simples e efetiva.

Rede Catarina de Proteção à Mulher

O programa está estruturado a partir de três eixos: ações proteção, policiamento direcionado ao problema e solução tecnológica. Cada comando local que implantar a rede terá a guarnição Patrulha Maria da Penha para qualificar o atendimento a mulheres vítimas de violência doméstica e familiar.

Violência doméstica e familiar

Configura-se violência doméstica e familiar contra a mulher qualquer ação ou omissão baseada no gênero que cause morte, lesão, sofrimento físico, sexual ou psicológico e dano moral ou patrimonial, ocorrida no âmbito da unidade doméstica, compreendida como o espaço de convívio permanente de pessoas, com ou sem vínculo familiar, inclusive as esporadicamente agregadas; assim como, no âmbito da família, compreendida como a comunidade formada por indivíduos que são ou se consideram aparentados, unidos por laços naturais, por afinidade ou por vontade expressa, bem como em qualquer relação íntima de afeto, na qual o agressor conviva ou tenha convivido com a ofendida, independentemente de coabitação. As relações pessoais elencadas independem de orientação sexual.


Por: Alessandra Oliveira

Deixe seu comentário

Saiba Mais