Xanxerê reduz 50% os focos do mosquito da dengue comparado com 2017

6 de dezembro de 2018 14:40 | Clima , Dengue , Variedades , Verão , Xanxerê Compartilhar no Whatsapp
Xanxerê reduz 50% os focos do mosquito da dengue comparado com 2017 Foto: divulgação

Com a chegada do verão, as condições ficam mais propícias para o mosquito Aedes aegypt procriar. No ano de 2017, Xanxerê possuía altos riscos de infestação. A cidade chegou a registrar 850 focos do mosquito e pessoas foram contaminadas pelo vírus. Neste ano, estes números diminuíram consideravelmente.

O Levantamento Rápido de Índices para o Aedes Aegypti (Liraa), programa do estado que deve ser realizado nos municípios duas vezes ao ano, normalmente nos meses de março e novembro, realiza um estudo sobre as áreas de contaminação do mosquito, em diversos pontos estratégicos da cidade, e determina qual a situação de infestação que a cidade se encontra.

De acordo com a coordenadora do Programa da Dengue em Xanxerê, Márcia Pucciti Viera, no ano de 2018 foram realizadas diversas campanhas para conscientizar a população. As agentes entomológicas realizaram trabalhos semanalmente, fiscalizando locais que tem propensão a acumular água parada.

– De acordo com o Liraa realizado no ano de 2017, os índices giravam em torno de 850 focos em Xanxerê, com alto risco de contaminação através do mosquito, éramos o segundo município mais infestado do estado de Santa Catarina – frisa Márcia.

Já em levantamento realizado no mês novembro deste ano, os números de focos da dengue diminuíram.

– No Lira realizado no mês de novembro, foram encontrados 443 focos de dengue, conseguimos diminuir pela metade este número em comparação com o ano anterior, e estamos em baixo risco de infestação – comemora.

Apesar dos índices terem sido diminuídos pela metade, vale ressaltar que os cuidados com o mosquito não podem decair.

– Com esta baixa nos números de focos da dengue, podemos ver como nossas ações estão surtindo efeito, a população está mais consciente de que devemos ter um olhar atencioso – ressalta.

Com a chegada do final de ano, além de limpar e embelezar a casa, vale verificar as calhas e caixas de água, para evitar a proliferação.


Por: Karina Ogliari

Deixe seu comentário

Saiba Mais