Xanxerê registra 49 casos de sífilis em seis meses

4 de julho de 2018 14:24
Saúde , Xanxerê Compartilhar no Whatsapp
Xanxerê registra 49 casos de sífilis em seis meses A falta de tratamento pode causar cegueira, demência e más formações, no caso de fetos. (Foto: Divulgação)

A sífilis é uma doença que não escolhe idade, sexo, nem classe social. A doença é transmitida pela bactéria treponema pallidum, principalmente por via sexual, mas também da mãe para o filho, durante a gravidez. A falta de tratamento pode causar cegueira, demência e más formações, no caso de fetos.

Em Xanxerê, de janeiro a junho deste ano, a Vigilância Epidemiológica do município registrou 49 casos. Desses, 7 são congênitas, que são transmitidas de gestantes para bebês, 26 em pessoas adultas e 16 em gestantes.

A enfermeira Caroline Cenzi, explica que em relação ao ano anterior, o número mostra que a doença está equilibrada. Ela ressalta também que a melhor forma de prevenção é fazer uso do preservativo em relações sexuais.

“Não é porque diminuíram as notificações que a doença não está ai, ela está e por isso é necessário ter cuidado. A melhor forma para evitar ela é se prevenir usando preservativo nas relações sexuais, isso não é só sífilis, serve para várias doenças assim como HIV”.

Os sintomas da doença são feridas que muitas vezes não causam nenhum incomodo, o que leva as pessoas adiarem a busca por um tratamento. Se não descoberta a tempo, a sífilis pode evoluir para manchas avermelhadas no corpo, principalmente nas palmas das mãos e pés, são manchas que não coçam, não doem, podendo surgir também algumas ínguas, queda de pelo e cabelo, neste estágio a doença também pode ser tratada.

O exame para a detecção e tratamento são oferecidos gratuitamente nas Unidades de Saúde.


Por: Alessandra Bagattini

Deixe seu comentário

Saiba Mais