Xanxerê registra cinco casos de H1N1 e duas mortes

12 de agosto de 2016 14:59
Saúde Compartilhar no Whatsapp
Xanxerê registra cinco casos de H1N1 e duas mortes Duas pessoas morreram de H1N1 em Xanxerê (Foto: Internet)

Xanxerê já conta com cinco casos de Influenza A (H1N1), destes, dois morreram. O dado é do relatório da Diretoria de Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Estado da Saúde.

Em todo o Estado já são 690 os casos confirmados de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) por influenza este ano no Estado. Desses, 680 foram pelo vírus influenza A (H1N1), dois casos de influenza A estão aguardando subtipagem e oito foram confirmados pelo vírus influenza B. Um total de 175 casos de SRAG segue em investigação, aguardando resultado dos exames laboratoriais para identificar se foram causados por vírus influenza A ou B.

Santa Catarina contabiliza 100 óbitos por gripe em 2016, sendo 98 pelo vírus influenza A (H1N1) e dois pelo influenza B.

Confira o boletim completo AQUI.

Sobre H1N1

O perfil de casos de SRAG em 2016 indica que houve uma intensa circulação do vírus influenza nos meses e março e abril, com predominância do subtipo A (H1N1), causando hospitalizações e casos graves que evoluíram para óbito, principalmente idosos (acima de 60 anos) e adultos com 9 comorbidades (doentes crônicos e obesos). Esses grupos apresentam uma tendência maior a apresentarem complicações quando infectadas pelo vírus influenza, por isso a importância de procurarem um serviço de saúde mais próximo da residência aos primeiros sinais e sintomas de gripe, para o tratamento adequado.

Com a chegada do inverno, existe a possibilidade real de que o vírus influenza A (H1N1) volte a circular com maior intensidade durante os próximos meses, o que pode ocasionar um aumento na ocorrência de casos graves e hospitalizações por gripe. Portanto, devem ser reforçadas as medidas de prevenção, principalmente lavar as mãos com frequência e evitar ambientes fechados e com aglomeração de pessoas. Também é necessário manter superfícies e objetos que entram em contato frequente com as mãos, como mesas, teclados, maçanetas e corrimãos, limpos com álcool e não compartilhar objetos de uso pessoal, como copos e talheres.

Além da vacinação para os grupos prioritários, estratégia eficaz na redução da doença grave entre a população mais vulnerável, as principais formas de prevenção para a gripe são: – Higiene respiratória/etiqueta da tosse – medida capaz de reduzir a circulação viral, pois previne a disseminação entre as pessoas; – Tratamento precoce com medicamentos antivirais, que ajudam a evitar a evolução para formas graves.

 


Por: Patricia Silva

Deixe seu comentário

Saiba Mais