Xanxerense larga tudo em busca de realizar um sonho e viaja sem dinheiro, pedindo caronas

23 de novembro de 2018 11:08 | Comunidade , Variedades , Xanxerê Compartilhar no Whatsapp
Xanxerense larga tudo em busca de realizar um sonho e viaja sem dinheiro, pedindo caronas (Foto: Reprodução YouTube)

Em busca de realizar um sonho, o xanxerense Hugo Filipin saiu do município na manhã da quinta-feira, Dia da Proclamação da República, e começou sua viagem.

Sem dinheiro e carregando apenas uma mochila com roupas e alguns pertences essenciais, Hugo pede caronas para seguir de uma cidade a outra e nem sempre tem destino certo. Ele já está há oito dias na estrada.

– Esse ano muitas coisas estavam dando errado para mim, fiquei desempregado, estou solteiro, tive que trancar a faculdade, quatro meses praticamente sem ganhar dinheiro, então, nada me prendia aqui e pensei que se não fosse agora, não ia conseguir realizar esse sonho – conta.

Hugo comenta que não contou sobre a intenção da viagem para seus pais, dizendo apenas que ia acampar e ligou avisando sua mãe que estava viajando.

– Sai um pouco escondido de casa, falei que ia acampar e fui longe. No domingo avisei minha mãe que estava no litoral, deixei um bilhete para ela, falei pra ela ler o bilhete e no começo ela ficou um pouco triste, mas se era isso que eu queria, seria mais uma história que eu teria para contar – lembra.

Logo que saiu de Xanxerê, de carona em um caminhão, foi até Tubarão onde ganhou poso, banho e café da manhã em um posto de combustível. Depois, foi até Criciúma, onde conseguiu carona com um veículo que o deixou na divisa entre Santa Catarina e Rio Grande do Sul, onde seguiu para o litoral.

– De Criciúma até a divisa do Rio Grande do Sul, consegui carona com um Golf e, por incrível que pareça, o motorista me deixou dirigindo enquanto ele dormia e, depois, uma Blazer parou para me dar carona, sem mesmo eu pedir, fui até um posto de combustível e lá consegui carona com um caminhoneiro – frisa.

Sobre as caronas, Hugo diz que não é muito fácil conseguir na beira da estrada, pois muitos motoristas desconfiam. Mas, os que param, segundo ele, são receptivos e sempre curiosos em saber sua história.

 

Histórias

E, ao longo do caminho, além de contar sua história, Hugo também ouve a história das pessoas e conta que, até agora, uma das mais marcantes e cômicas até agora foi sobre a história do surgimento do apelido de um caminhoneiro que lhe deu carona.

– Esse caminhoneiro me contou várias histórias sobre a vida dele, inclusive a origem do apelido, que é “morto” (risos), porque ele tem uma doença que parece que a pessoa está morta e não está e ele contou que acordou duas vezes no próprio velório e uma vez no Instituto Médico Legal.

 

Receptividade

O xanxerense comenta que quando chega nos locais, geralmente postos de combustível, é bem recebido, consegue tomar banho e algum alimento também. E, para dormir, geralmente ele fica nos postos ou guaritas de polícia. Ou, busca por conhecidos nas cidades e pernoita em suas casas.

– Quando chego nos locais, geralmente postos de combustível, peço para tomar banho, usar o banheiro e geralmente eles liberam e alimentação ninguém nega, quando chega o horário de almoço, jantar, eu peço em algum lugar, em uma casa e, às vezes, os lugares onde paro para dormir me dão um lanche ou um pouco de dinheiro – destaca.

 

Diário de viagem

Como forma de mostrar sua viagem para os familiares e amigos e registrar os momentos que passa na estrada, Hugo mantém um canal no YouTube, postando vídeos regularmente. Nos vídeos, ele conta como foi o dia, os acontecimentos, em que cidade ele está, como chegou e para onde ele vai.

– Os amigos me induziram a criar o canal e documentar tudo em vídeo, contando sobre a viagem, e eu fiz isso também para eles terem notícias minhas. Ali compartilho como foi o dia, as dificuldades e tudo o que aconteceu – ressalta.

De início, os planos do xanxerense era ficar na estrada até o Natal. Mas, com a indicação de mais lugares para conhecer, Hugo não sabe quando deve voltar para casa.

Acompanhe a viagem de Hugo em seu canal, clicando AQUI.


Por: Alessandra Oliveira

Deixe seu comentário

Saiba Mais