Xanxerense relembra maior nevasca registrada no município: “Era lindo”

20 de julho de 2017 09:35
Clima , Comunidade , Variedades , Xanxerê Compartilhar no Whatsapp
Xanxerense relembra maior nevasca registrada no município: “Era lindo” Em Xanxerê o fenômeno ocorreu nos dias 24 e 25 de agosto 1965, como mostra os registros feitos pelo fotógrafo Ivo Zolet. (Fotos: Ivo Zolet)

Com 90 anos, o xanxerense Antônio Pompermayer lembra de uma das maiores nevascas da história que atingiu Santa Catarina, há aproximadamente 60 anos.

“Fazia muito frio e caiu muita neve. Eu me lembro que morava no centro e depois da neve, que deixou a cidade toda coberta, precisei ir até a fazenda, mas nós não conseguimos ir de carro, precisamos ir a pé”, relembra.

Segundo Antoninho Pompermaier, a nevasca chegava em aproximadamente um metro de altura.

“Muitos animais, que eram da minha família acabaram morrendo com o frio. A neve chegava em aproximadamente um metro de altura e ela demorou dias para derreter. Era frio, mas era lindo de ver”.

Em Xanxerê o fenômeno ocorreu nos dias 24 e 25 de agosto de 1965, como mostra os registros feitos pelo fotógrafo Ivo Zolet.

Maria Zolet Vidal, diz que seu pai conta que Xanxerê se transformou em branco. “Meu pai me conta que foi uma super neve e Xanxerê ficou branca. O fato ocorreu em agosto de 1965, eu tinha apenas dez meses. Mas os registros fotográficos mostram o quão forte foi a nevasca”.

Neste dia 20 de julho completa 60 anos da nevasca que ocorreu em São Joaquim, na Serra, onde foi registrada a maior da história de Santa Catarina e segunda maior do país.

Segundo Bianca Souza, Técnica em Meteorologia, essa semana completa também quatro anos do maior registro de neve em abrangência no Estado.

Ao todo foram 126 cidades a registrar o fenômeno, entre os dias 22 e 25 de Julho de 2013. Além de 35 cidades que registraram chuva congelada. São elas:

Abelardo Luz, Águas Mornas, Ascurra, Aurora, Água Doce, Angelina, Alfredo Wagner, Atalanta, Antônio Carlos, Apiúna, Anitápolis, Biguaçu, Bom Jardim da Serra, Bom Jesus do Oeste, Bela Vista do Toldo, Benedito Novo, Brusque, Blumenau, Bom Retiro, Botuverá, Caçador, Calmon, Campo Belo do Sul, Campos Novos, Cerro Negro, Campo Alegre, Canelinha, Canoinhas, Capão Alto, Catanduvas, Chapecó, Chapadão do Lageado, Coronel Freitas, Curitibanos, Dona Emma, Doutor Pedrinho, Erval Velho, Frei Rogério, Fraiburgo, Guabiruba, Herval do Oeste, Ilhota, Itajaí, Itaiópolis, Itapiranga, Iporã do Oeste , Indaial, Ituporanga, Irineópolis, Ibirama, Imbuia, , Irani, Jaborá, Joaçaba, Joinville (Serra Dona Francisca), José Boiteux, Leoberto Leal, Lages, Lebon Régis, Luis Alves, Laurentino, Lontras, Mafra, Major Vieira, Major Gercino, Matos Costa, Monte Castelo, Mirim Doce, Nova Trento, Otacílio Costa, Painel, Palhoça (Morro do Cambirela), Pinhalzinho, Pinheiro Preto, Porto União, Paulo Lopes, Papanduva, Pouso Redondo, Presidente Getúlio, Presidente Nereu, Pomerode, Rancho Queimado, Rio do Sul, Rio do Campo, Rio Negrinho, Rio Rufino, Rio dos Cedros, Rodeio, Salete, Santo Amaro da Imperatriz, São Bento do Sul, Santa Cecília, Santa Terezinha, São Miguel d’Oeste, São Joaquim, São José do Cerrito, São Bonifácio, São Cristóvão do Sul, São Pedro de Alcântara, Serro Negro, Tangará, Timbó (Morro Azul), Timbó Grande, Timbé do Sul, Três Barras, Urubici, Urupema, , Vargem Bonita, Vidal Ramos, Videira, Vitor Meireles, Xanxerê e Xaxim.

 

Dados históricos:

Conforme dados das estações da Epagri Ciram, os recordes de frio são de 1952 (-14°C em Caçador), 1963 (-12°C, em Canoinhas) e 1945 (-11,6°C, em Xanxerê). O mais recente é de 1991: -10ºC em São Joaquim. Índices que representam o dobro ou o triplo das temperaturas mais baixas registradas nos últimos anos no Estado.

 


Por: Alessandra Bagattini

Deixe seu comentário

Saiba Mais