XI Conferência Municipal dos Direitos da Criança e Adolescente debate direitos previsto em Lei

28 de novembro de 2018 09:45 | Educação , Variedades , Xanxerê Compartilhar no Whatsapp
XI Conferência Municipal dos Direitos da Criança e Adolescente debate direitos previsto em Lei

A XI Conferência Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente acontece nesta quarta-feira (28), no Centro de Convivência Conviver, localizado na Rua Vido Tonial, 440, Bairro La Salle, em Xanxerê. A palestra é voltada para toda a população, com início ás 8h e segue até as 17h, abordando temas de proteção integral, diversidades e enfrentamento ás violências.

Em entrevista com a presidente do Conselho de Direitos da Criança e do Adolescente do município, Luciane Bandera, ela explica que a cada três anos a Conferência é realizada na região, e tem o intuito que a população ajude a pensar nas Leis de política pública, propostas que serão levadas até o Estado e depois para o conselho federal.

– Escutamos todos os dias nos veículos de comunicação sobre as violências sofridas pelas crianças aqui do município, não queremos que isto venha acontecer mais, e para mudar isso devemos nos tornar mais responsáveis e tornarmos as crianças mais responsáveis também. Devemos pensar nos adolescentes como adultos responsáveis, pois não queremos que essas situações continuem acontecendo – frisa Luciana.

Outro ponto ressaltado é que não se deve ficar calado perante uma situação abusiva.

– Quando você vê uma situação de abuso, não deve deixar passar em branco, pois a partir do momento que você toma ciência de um ocorrido você também faz parte dele – ressalta.

Garantia dos direitos da criança e do adolescente é previstos no Artigo Federal, a população deve conferir se estes direitos estão sendo aplicados na comunidade, e fazer novas propostas nesta conferência.

A palestrante Alda De Toffano realiza conferências sobre este assunto há mais de 15 anos, em diversas regiões do Brasil. Ela explica que nesta conferência serão decididas 15 propostas de novos projetos, que serão trabalhadas para virar leis.

– A importância de tratar este assunto é fazer com que as políticas públicas coloquem a criança e adolescente como prioridade no sujeito de direitos, para garantir qualidade na educação e qualidade de vida. Devemos conferir o que temos para as crianças e propor novas prioridades para que as crianças cheguem na fase adulta preparados para a vida – finaliza Alda.


Por: Karina Ogliari

Deixe seu comentário

Saiba Mais