Pittol
Pittol

Conheça a história do professor que trouxe as artes marciais para Xanxerê

Vitor Queiroz | Esporte , Xanxerê | 22/06/2022 11:06
Conheça a história do professor que trouxe as artes marciais para Xanxerê
Compartilhar no Whatsapp
Visualizações: 17170

Thassio Julianno Augustto Fagundes De Negri é natural de Campos Novos, mas reside em Xanxerê há mais de 25 anos, o mesmo é formado em licenciatura plena em Ed. Física e é pós-graduado em treinamento desportivo e personal trainer. Além de, ser faixa preta 1º dan de jiu-jitsu, Grau Preto de muay-thai da academia Brazuca personal trainer do Studio TNT. Além de atuar na prefeitura com o paradesporto.

Vale ressaltar, que o mesmo foi pioneiro como professor de muay-thai, jiu-jitsu, MMA em Xanxerê. Sendo assim, ele conta que juntamente com o professor Márcio Pedra Ângelo de Chapecó foram os que começaram a desenvolver o MMA na região Oeste.

Desta maneira, ele conta que iniciou o jiu-jitsu em 2001, com um grupo e um faixa azul do Rio de Janeiro que também trouxe várias revistas para o grupo treinar, logo após isso, iniciou as aulas com Ronilson faixa preta.

Com isso, Thassio teve vários atletas com destaque, campeões estaduais, nacionais e até mundiais. Os destaques vão para Crystian Cunha no jiu-jitsu e Wagner Lima no MMA que estão ainda na atividade.

É importante destacar, Tiago Araújo detentor do cinturão catarinense de muay thai profissional, Josemir Raimundi no MMA, Patrícia Aviloff Cunha no muay thai e jiu-jitsu e Ana Cecília Sirino vice-campeã mundial master.

— Entre campeões catarinense e brasileiro a equipe brazuca teve aproximadamente 50 campeões desde 2011 até hoje, e esperamos muito mais — enfatiza.

Portanto, ele afirma que a prática de arte marcial traz muitos benefícios para a saúde, tanto físicas, quanto mentais das crianças, jovens e adultos. Por meio das modalidades, elas aprendem a compartilhar valores, experiências e desenvolvem vários tipos de habilidades, além de respeito e disciplina.

— As artes marciais trabalham com vários valores como respeito ao outro, não violência, cooperação, respeito às regras, entre outros. A atividade também desenvolve a capacidade para superação de desafios e que a principal competição não está no outro oponente, mas nele mesmo. Ou seja, ensina às pessoas a lidarem e a superarem os seus próprios limites — afirma.

Questionado ao incentivo público, ele diz não haver muito em Xanxerê em relação as artes marciais.

— Como se trata de uma academia privada, temos pouco apoio do poder público, os Atletas em competições estaduais, nacionais e mundiais pelas federações representam o seu município e não a academia, deveria ter mais apoio do nosso poder público, já que os mesmos estão sendo representados pelos atletas — complementa.

Em contato com seu aluno de jiu-jitsu Rafael Queiroz, ele fala sobre o esporte:

— O jiu-jitsu para mim, é algo inexplicável, além do condicionamento físico, o que é mais preponderante é o equilíbrio mental, emocional eu diria, ele trabalha a cabeça como nenhum outro esporte conseguiria! Acho muito bacana poder treinar com o Thassio De Negri e ter presente também o mestre Crystian Cunha que é um campeão mundial de jiu-jitsu, é até engraçado de como uma cidade do Oeste tão pequena possua grandes atletas como o Thassio De Negri e Crystian Cunha — finaliza.

Caso tenha interesse entre em contato com o Thassio De Negri pelo Instagram:@thassiotnt ou pelo número: (49) 9.9972-4673

Conheça a história do professor que trouxe as artes marciais para Xanxerê

Deixe seu comentário

Acesse nosso grupo de notícias